fuso horário no brasil e o horário de verão

Para saber mais sobre os fundamentos básicos do fuso horário, leia o nosso texto Fuso Horário ou o Como calcular os fusos horários?.

FUSO HORÁRIO NO BRASIL

No Brasil, a atual dimensão territorial determina quatro fusos horários diferentes: GMT −2, GMT −3, GMT −4 e GMT −5.

Fusos horários adotados na Hora Legal Brasileira em referência ao Tempo Universal Coordenado (UTC)

O GMT é Greenwich Mean Time, que é referência do horário do meridiano Greenwich (0º) (leia). Lembre-se que para converter o GMT por longitude basta multiplicar por 15: 
(-2) x 15 = -30; 
(-3) x 15 = -45;
      e assim por diante.

Lembre-se também que o sinal menos (-) indica oeste e mais (+) leste. A explicação é que as regiões a oeste estão mais atrasadas, enquanto as mais a leste estão adiantadas. Portanto, -30 é 30ºO e assim por diante...

A capital, Brasília, está inserida no GMT −3. Por isso, programas de rádio e televisão com abrangência nacional, quando informam a hora, costumam acrescentar o aviso “horário de Brasília”.

Na história do Brasil, o país nem sempre teve quatro fusos. Confira a seguir as mudanças de fusos no país.

De um a quatro fusos

Até 1912, o Brasil tinha uma hora legal para todo o país, e a situação mudou quando em 18 de junho de 1913, o país passou a adotar quatro fusos diferentes para o território brasileiro. Na ocasião, a mudança ocorreu com a assinatura do decreto-lei nº 2784, do presidente Hermes da Fonseca.

De quatro a três fusos


Durante décadas, prevaleceu a divisão em quatro fusos, até que, no começo do século XXI, deputados e senadores dos estados do Pará, Amazonas e Acre fizeram uma mudança nessa configuração, alterando o limite prático dos fusos horários que cortam o Brasil com a lei n. 11662, de 24 de abril de 2008. O estado do Pará, que era cortado ao meio pelos fusos GMT −3 e GMT −4, foi unificado; a porção oeste do estado do Amazonas e o Acre passaram a seguir o horário do GMT −4. O Brasil passou a ser legalmente dividido, a partir desse momento, em três fusos horários diferentes.

Retorno a quatro fusos

No entanto, várias organizações sociais do estado do Acre entraram com um pedido de revogação da alteração feita em 2008, cujo pedido resultou em um plebiscito que foi votado junto do segundo turno das eleições presidenciais de 2010. O resultado do plebiscito foi favorável ao retorno de 4 fusos horários no Brasil, que foi oficializado pela Lei n. 12876, de 30 de outubro de 2013.

HORÁRIO DE VERÃO

O horário de verão é uma alteração da hora de uma região, adiantando-se o relógio em uma hora.

A finalidade do horário é diminuir o consumo de eletricidade, ao promover a economia de energia elétrica pelo uso de luz natural, como o Sol. Além disso, a medida do horário de verão busca incentivar um maior tempo para as atividades diurnas, reduzir delitos e e aumentar as atividades industriais e laborativas¹.

A criação do horário de verão no mundo ocorreu com o Benjamim Franklin, no ano de 1784, ao observar que a luz solar nascia antes das pessoas se levantarem, durante alguns meses do ano.

Benjamim Franklin foi o responsável pela ideia do horário de verão. Foto: Wikipedia.

Assim, Franklin pensou que se os relógios fossem adiantados em uma hora nesse período, os indivíduos poderiam aproveitar melhor a luz do dia. Mas nessa época as ideias de Franklin não foram seguidas e o uso do horário de verão começou como experimento em 1907 na Inglaterra e depois, de forma oficial, em 1916 na Alemanha.

No Brasil, o horário de verão foi instituído pela primeira vez no verão de 1931/1932, pelo Getúlio Vargas. Entretanto, a medida não agradou e e somente retornou em 1949, com funcionamento até 1953 e entre 1963 até 1968, ambos de forma intercalada e variada.

A partir de 1985, o país passou a adotar anualmente o horário de verão, no mês de outubro, sendo que alguns estados não aderem (como do nordeste e norte).

Desde a sua criação, a necessidade, os efeitos e a eficiência do horário de verão são debatidos na sociedade. Para alguns, a economia de energia com o horário de verão é pequena. E atualmente, com o aumento do número de aparelhos eletrônicos, como o ar-condicionado, o consumo de energia também aumentou, o que fez aumentar as polêmicas sobre o tema.

Outra problematização do horário de verão, é que a população se confunde com a mudança de horário, ainda mais, porque alguns aparelhos eletrônicos alteram (ou não) o novo horário. Um exemplo dessa confusão ocorreu em 2018, quando o início do horário de verão coincidiu com a aplicação do Enem (04 de novembro), o que fez muitos candidatos se atrasarem ou até perderem a prova.

O que chama atenção é que a data do horário de verão de 2018 estava prevista para começar em outubro, que nessa época ocorreria no dia das eleições presidenciais e que poderia causar uma confusão para os eleitores com os horários de votação. Dessa forma , o governo brasileiro preferiu decidiu adiar o horário de verão para novembro, entretanto, acabou atrapalhando a vida dos vestibulandos.

No ano de 2019, o governo decretou o fim do horário de verão (Decreto N° 9.772 de 26/04/2019), e o Ministério de Minas e Energia alegou que as mudanças de hábitos de consumo de energia afetou os resultados benéficos do horário de verão (leia mais).

Leia também

O horário de verão ainda valeria a pena? Especialistas respondem

Referências Bibliográficas

1.CARVALHO, Cláudio Viveiros de. Horário de verão. Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados. 2009. Disponível em: https://bd.camara.leg.br/bd/bitstream/handle/bdcamara

Uma consideração sobre “fuso horário no brasil e o horário de verão”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s