Geografia no enem 2018

Confira as questões e o gabarito de geografia no Enem 2018

1. (Enem 2018)  TEXTO I

As fronteiras, ao mesmo tempo que se separam, unem e articulam, por elas passando discursos de legitimação da ordem social tanto quanto do conflito.

CUNHA, L. Terras lusitanas e gentes dos brasis: a nação e o seu retrato literário. Revista Ciências Sociais, n. 2, 2009.

TEXTO II

As últimas barreiras ao livre movimento do dinheiro e das mercadorias e informação que rendem dinheiro andam de mãos dadas com a pressão para cavar novos fossos e erigir novas muralhas que barrem o movimento daqueles que em consequência perdem, física ou espiritualmente, suas raízes.

BAUMAN, Z. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

A ressignificação contemporânea da ideia de fronteira compreende e

a) liberação da circulação de pessoas.   

b) preponderância dos limites naturais.   

c) supressão dos obstáculos aduaneiros.    

d) desvalorização da noção de nacionalismo.    

e) seletividade dos mecanismos segregadores.   

2. (Enem 2018)  TEXTO I

Há mais de duas décadas, os cientistas e ambientalistas têm alertado para o fato de a água doce ser um recurso escasso em nosso planeta. Desde o começo de 2014, o Sudeste do Brasil adquiriu uma clara percepção dessa realidade em função da seca.

TEXTO II

Dinâmicas atmosféricas no Brasil

Elementos relevantes ao transporte de umidade na América do Sul a leste dos Andes pelos Jatos de Baixos Níveis (JBN), Frentes Frias (FF) e transporte de umidade do Atlântico Sul, assim como a presença da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), para um verão normal e para o verão seco de 2014. “A” representa o centro da anomalia de alta pressão atmosférica.

De acordo com as informações apresentadas, a seca de 2014, no Sudeste, teve como causa natural o(a) 

a) constituição de frentes quentes barrando as chuvas convectivas.    

b) formação de anticiclone impedindo a entrada de umidade.    

c) presença de nebulosidade na região de cordilheira.    

d) avanço de massas polares para o continente.    

e) baixa pressão atmosférica no litoral.    

3. (Enem 2018)  A agricultura ecológica e a produção orgânica de alimentos estão ganhando relevância em diferentes partes do mundo. No campo brasileiro, também acontece o mesmo. Impulsionado especialmente pela expansão da demanda de alimentos saudáveis, o setor cresce a cada ano, embora permaneça relativamente marginalizado na agenda de prioridades da política agrícola praticada no país.

AQUINO. J. R.; GAZOLLA. M.; SCHNEIDER. S. In: SAMBUICHI. R. H. R. et aI. (Org.). A política nacional de agroecologia e produção orgânica no Brasil: uma trajetória de luta pelo desenvolvimento rural sustentável. Brasília: Ipea. 2017 (adaptado).

Que tipo de intervenção do poder público no espaço rural é capaz de reduzir a marginalização produtiva apresentada no texto? 

a) Subsidiar os cultivos de base familiar.   

b) Favorecer as práticas de fertilização química.    

c) Restringir o emprego de maquinário moderno.    

d) Controlar a expansão de sistemas de irrigação.    

e) Regulamentar o uso de sementes selecionadas.   

4. (Enem 2018) 

Considerando as diferenças entre extrativismo vegetal e silvicultura, a variação das curvas do gráfico foi influenciada pela tendência de

a) conservação do bioma nativo.   

b) estagnação do setor primário.   

c) utilização de madeira de reflorestamento.   

d) redução da produção de móveis.    

e) retração da indústria alimentícia.    

5. (Enem 2018)  No início da década de 1990, dois biólogos importantes, Redford e Robinson, produziram um modelo largamente aceito de “produção sustentável” que previa quantos indivíduos de cada espécie poderiam ser caçados de forma sustentável baseado nas suas taxas de reprodução. Os seringueiros do Alto Juruá tinham um modelo diferente: a quem lhes afirmava que estavam caçando acima do sustentável (dentro do modelo), eles diziam que não, que o nível da caça dependia da existência de áreas de refúgio em que ninguém caçava. Ora, esse acabou sendo o modelo batizado de “fonte-ralo” proposto dez anos após o primeiro por Novaro, Bodmer e o próprio Redford e que suplantou o modelo anterior.

CUNHA, M. C. Revista USP, n. 75, set.-nov. 2007.

No contexto da produção científica, a necessidade de reconstrução desse modelo, conforme exposto no texto, foi determinada pelo confronto com um(a)

a) conclusão operacional obtida por lógica dedutiva.   

b) visão de mundo marcada por preconceitos morais.   

c) hábito social condicionado pela religiosidade popular.    

d) conhecimento empírico apropriado pelo senso comum.    

e) padrão de preservação construído por experimentação dirigida.    

6. (Enem 2018)  Uma pesquisa realizada por Carolina Levis, especialista em ecologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, e publicada na revista Science, demonstra que as espécies vegetais domesticadas pelas civilizações pré-colombianas são as mais dominantes.

“A domesticação de plantas na floresta começou há mais de 8.000 anos. Primeiro eram selecionadas as plantas com características que poderiam ser úteis ao homem e em um segundo momento era feita a propagação dessas espécies. Começaram a cultivá-las em pátios e jardins, por meio de um processo quase intuitivo de seleção”.

OLIVEIRA, J. Indígenas foram os primeiros a alterar o ecossistema da Amazônia.  Disponível em: https://brasil.elpais.com. Acesso em: 11 dez. 2017 (adaptado).

O texto apresenta um novo olhar sobre a configuração da Floresta Amazônica por romper com a ideia de

a) primazia de saberes locais.   

b) ausência de ação antrópica.   

c) insuficiência de recursos naturais.   

d) necessidade de manejo ambiental.   

e) predominância de práticas agropecuárias.    

7. (Enem 2018)  A presunção de que a superfície das chapadas e chapadões representa uma velha peneplanície é a corroborada pelo fato de que ela é coberta por acumulações superficiais, tais como massas de areia, camadas de cascalhos e seixos e pela ocorrência generalizada de concreções ferruginosas que formam uma crosta laterítica, denominada “canga”.

WEIBEL, L. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br. Acesso em: 8 jul. 2015 (adaptado).

Qual tipo climático favorece o processo de alteração do solo descrito no texto?

a) Árido, com deficit hídrico.   

b) Subtropical, com baixas temperaturas.   

c) Temperado, com invernos frios e secos.    

d) Tropical, com sazonalidade das chuvas.   

e) Equatorial, com pluviosidade abundante.    

8. (Enem 2018) 

Qual característica do meio físico é condição necessária para a distribuição espacial do fenômeno representado?

a) Cobertura vegetal com porte arbóreo.   

b) Barreiras orográficas com altitudes elevadas.   

c) Pressão atmosférica com diferença acentuada.   

d) Superfície continental com refletividade intensa.   

e) Correntes marinhas com direções convergentes.   

9. (Enem 2018)  Anamorfose é a transformação cartográfica espacial em que a forma dos objetos é distorcida, de forma a realçar o tema. A área das unidades espaciais às quais o tema se refere é alterada de forma proporcional ao respectivo valor.

GASPAR, A. J. Dicionário de ciências cartográficas. Lisboa: Lidel, 2004.

A técnica descrita foi aplicada na seguinte forma de representação do espaço: 

a)    

b)    

c)    

d)    

e)    

10. (Enem 2018)  Foi-se o tempo em que era possível mostrar um mundo econômico organizado em camadas bem definidas, onde grandes centros urbanos se ligavam, por si próprios, a economias adjacentes “lentas”, com o ritmo muito mais rápido do comércio e das finanças de longo alcance. Hoje tudo ocorre como se essas camadas sobrepostas estivessem mescladas e interpermeadas. Interdependências de curto e longo alcance não podem mais ser separadas umas das outras.

BRENNER, N. A globalização como reterritorialização. Cadernos Metrópole, n. 24, jul-dez. 2010 (adaptado).

A maior complexidade dos espaços urbanos contemporâneos ressaltada no texto explica-se pela

a) expansão de áreas metropolitanas.   

b) emancipação de novos municípios.   

c) consolidação de domínios jurídicos.   

d) articulação de redes multiescalares.   

e) redefinição de regiões administrativas.    

11. (Enem 2018)  Os portos sempre foram respostas ao comércio praticado em grande volume, que se dá via marítima, lacustre e fluvial, e sofreram adaptações, ou modernizações, de acordo com um conjunto de fatores que vão desde a sua localização privilegiada frente a extensas hinterlândias, passando por sua conectividade com modernas redes de transportes que garantam acessibilidade, associados, no atual momento, à tecnologia, que o transformam em pontas de lança de uma economia globalizada que comprime o tempo em nome da produtividade e da competitividade.

ROCHA NETO, J.M.; CRAVIDÃO, F. D., Portos no contexto do meio técnico. Mercator, n. 2, maio-ago, 2014 (adaptações).

Uma mudança que permitiu aos portos adequarem-se às novas necessidades comerciais apontadas no texto foi a

a) intensificação do uso de contêineres.   

b) compactação das áreas de estocagem.   

c) burocratização dos serviços de alfândega.   

d) redução da profundidade dos atracadouros.   

e) superação da especialização dos cargueiros.   

12. (Enem 2018) 

A dinâmica hidrológica expressa no gráfico demonstra que o processo de urbanização promove a

a) redução do volume dos rios.   

b) expansão do lençol freático.   

c) diminuição do índice de chuvas.   

d) retração do nível dos reservatórios.   

e) ampliação do escoamento superficial.   

13. (Enem 2018)  Os países industriais adotaram uma concepção diferente das relações familiares e do lugar da fecundidade na vida familiar e social. A preocupação de garantir uma transmissão integral das vantagens econômicas e sociais adquiridas tem como resultado uma ação voluntária de limitação do número de nascimentos.

GEORGE, P. Panorama do mundo atual. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1968 (adaptado).

Em meados do século XX, o fenômeno social descrito contribuiu para o processo europeu de

a) estabilização da pirâmide etária.   

b) conclusão da transição demográfica.   

c) contenção da entrada de imigrantes.    

d) elevação do crescimento vegetativo.   

e) formação de espaços superpovoados.    

14. (Enem 2018)  No Segundo Congresso Internacional de Ciências Geográficas, em 1875, a que compareceram o presidente da República, o governador de Paris e o presidente da Assembleia, o discurso inaugural do almirante La Rouciére-Le Noury expôs a atitude predominante no encontro: “Cavalheiros, a Providência nos ditou a obrigação de conhecer e conquistar a terra. Essa ordem suprema é um dos deveres imperiosos inscritos em nossas inteligências e nossas atividades. A geografia, essa ciência que inspira tão bela devoção e em cujo nome foram sacrificadas tantas vítimas, tornou- se a filosofia da terra”.

SAIO, E. Cultura e política. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

No contexto histórico apresentado, a exaltação da ciência geográfica decorre do seu uso para o(a)

a) a preservação cultural dos territórios ocupados.   

b) formação humanitária da sociedade europeia.   

c) catalogação de dados úteis aos propósitos colonialistas.   

d) desenvolvimento de técnicas matemáticas de construção de cartas.   

e) consolidação do conhecimento topográfico como campo acadêmico.   

15. (Enem 2018)  A situação demográfica de Israel é muito particular. Desde 1967, a esquerda sionista afirma que Israel deveria se desfazer rapidamente da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, argumentando a partir de uma lógica demográfica aparentemente inexorável. Devido à taxa de nascimento árabe ser muito mais elevada, a anexação dos territórios palestinos, formal ou informal, acarretaria dentro de uma ou duas gerações uma maioria árabe “entre o rio e o mar”.

DEMANT, P. Israel: a crise próxima. História, n. 2. jul.-dez. 2014.

A preocupação apresentada no texto revela um aspecto da condução política desse Estado identificado ao(à)

a) abdicação da interferência militar em conflito local.   

b) busca da preeminência étnica sobre o espaço nacional.   

c) admissão da participação proativa em blocos regionais.   

d) rompimento com os interesses geopolíticos das potências globais.

e) compromisso com as resoluções emanadas dos organismos internacionais.   

16. (Enem 2018)  Em Beirute, no Líbano, quando perguntado sobre onde se encontram os refugiados sírios, a resposta do homem é imediata: “em todos os lugares e em lugar nenhum”. Andando ao acaso, não é raro ver, sob um prédio ou num canto de calçada, ao abrigo do vento, uma família refugiada em volta de uma refeição frugal posta sobre jornais como se fossem guardanapos. Também se vê de vez em quando uma tenda com a sigla ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), erguida em um dos raros terrenos vagos da capital.

JABER, H. Quem realmente acolhe os refugiados? Le Monde Diplomatique Brasil. out. 2015 (adaptado).

O cenário descrito aponta para uma crise humanitária que é explicada pelo processo de

a) migração massiva de pessoas atingidas por catástrofe natural.   

b) hibridização cultural de grupos caracterizados por homogeneidade social.   

c) desmobilização voluntária de militantes cooptados por seitas extremistas.   

d) peregrinação religiosa de fiéis orientados por lideranças fundamentalistas.    

e) desterritorialização forçada de populações afetadas por conflitos armados.    

17. (Enem 2018) 

TEXTO I -Quando um exército atravessa montanhas, florestas, zonas de precipícios, ou marcha ao longo de desfiladeiros, alagadiços ou pântanos, ou qualquer outro terreno onde a deslocação é árdua, está em terreno difícil. O terreno onde é apertado e a sua saída é tortuosa e onde uma pequena força inimiga pode atacar a minha, embora maior, é cercado.

TZU. S. A arte da guerra. São Paulo: Marlin Claret. 2001.

TEXTO II – O objetivo principal era encontrar e matar Osama Bin Laden. Onde ele se esconde? Não podemos esquecer a dificuldade de ocupação do país, que possui um relevo montanhoso, cheio de cavernas, onde fica fácil, para quem está acostumado com esse relevo, esconder-se.

OLIVEIRA. M G.; SANTOS. M. S. Ásia: uma visão histórica, política e econômica do continente. Rio de Janeiro: E-Papers, 2009 (adaptado).

As situações apresentadas atestam a importância da relação entre a topografia e o(a) 

a) construção de vias terrestres.   

b) preservação do meio ambiente.   

c) emprego de armamentos sofisticados.    

d) intimidação contínua da população local.   

e) domínio cognitivo da configuração espacial   

Gabarito

Resposta da questão 1: E

Resposta da questão 2: B

Resposta da questão 3: [A

Resposta da questão 4: C

Resposta da questão 5: D

Resposta da questão 6: B

Resposta da questão 7: D

Resposta da questão 8: C

Resposta da questão 9: C

Resposta da questão 10: D

Resposta da questão 11: A

Resposta da questão 12: E

Resposta da questão 13: B

Resposta da questão 14: C

Resposta da questão 15: B

Resposta da questão 16: E

Resposta da questão 17: E

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s