Unicamp 2018: Geografia e Redação

Resolução da prova da 2a fase da Unicamp 2018, com data de aplicação em 15 janeiro de 2018 (veja a 1a fase).

Os temas de geografia cobrado foram: gentrificação, delta, limite fronteiriço, cidades gêmeas, relação entre Cerrado e agronegócio, diferença entre clima e tempo, ilha de calor e desigualdade social.

GEOGRAFIA

Questão 01 – (UNICAMP – 2018)

gentrificação_unicamp 2018.png

A tira acima retrata a transformação de uma paisagem urbana associada aos processos de refuncionalização espacial e gentrificação (do inglês gentrification).

a) Dê dois exemplos de refuncionalização espacial ilustrados na tira acima.

Pela figura observa-se a refuncionalização espacial pela mudança da função do imóvel da atividade industrial, cujo imóvel tornou-se obsoleto, para escritórios de serviços e comércio. Outro exemplo é a transformação desses espaços de serviços e comércios em espaços residenciais de mais alto padrão, como se pode observar pela arquitetura retratada na tira.

b) O que é gentrificação? A partir de qual momento da urbanização mundial esse fenômeno passa a ocorrer?

A gentrificação é um processo de revitalização de antigas áreas degradas dos centros urbanos. Esse processo foi primeiramente reconhecido em antigas cidades europeias, tendo sido iniciado nos anos 1960/1970 e expandido para o mundo a partir dos anos 1980. Ele teve e tem como consequências a expulsão da população de baixa renda dessas áreas para setores periféricos das cidades, de modo que as áreas revitalizadas passam a ser ocupadas por elites de mais alta renda. Por isso, pode-se afirmar que esse processo elitiza ou enobrece a área.

Questão 02 – (UNICAMP 2018)

rio nilo_unicamp 2018.png

O território egípcio é marcado pela presença de dois compartimentos naturais: o Delta do Nilo e um golfo. Com base em seus conhecimentos e na imagem acima, responda às questões.

a) O que é um delta? Indique qual é a forma de relevo típica de terreno deltaico.

O delta de um rio é a foz de um rio, ou seja, a área onde o rio deságua. Predomina ali um processo de sedimentação e, em consequência, formam-se ilhas e bancos de areias, espalhando as águas do rio e criando inúmeras ramificações (canais) por onde elas escoam. O relevo típico dessa forma de terreno deltaico é a planície.

b) Indique o nome do golfo que divide o território egípcio e aponte sua importância geopolítica para o mundo contemporâneo.

O nome do golfo que dividi o território egípcio é Golfo de Suez. Sua importância geopolítica foi estabelecida no final do século XIX com a construção do Canal de Suez, que faz a ligação entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho, diminuindo as distâncias oceânicas entre o Oceano Atlântico e os Oceanos Índico e Pacífico. Atualmente, o canal tem sua importância ligada ao transporte de mercadorias, especialmente o transporte de petróleo do Oriente Médio para os países Europeus.

Questão 03 – (UNICAMP 2018)

cidades gêmeas_unicamp 2018.png

Com base na figura acima e em seus conhecimentos, responda às questões.

a) Explique o que é limite fronteiriço e o que é a Faixa de Fronteira Brasileira.

O limite fronteiriço de um país é a linha de fronteira que delimita um país. Ele é definido em Acordos e Tratados Internacionais. Essas linhas podem ser naturais, como no caso de um rio, ou artificiais, demarcadas por esses Acordos e Tratados.

A Faixa de fronteira Brasileira refere-se a um espaço constitucional de 150 km de largura que acompanha a linha da fronteira. Sua função está relacionada a uma legislação especial ligada à segurança nacionais e à propriedade da terra. A exploração econômica alia é mais restrita do que em outras partes do território nacional. Seu uso é múltiplo, pois uma Faixa de Fronteira também define para além de questões constitucionais, uma área de circulação de pessoas, ideias e mercadorias entre duas ou mais nações.

b) O que são cidades gêmeas? No território brasileiro, qual cidade gêmea é a mais importante em movimento de pessoas e de mercadorias?

Cidades gêmeas são cidades confrontantes ou vizinhas separadas por uma linha fronteiriça, onde ocorre um processo de urbanização que integra duas cidades. São caracterizadas, por um imenso tráfego de pessoas e mercadorias entre os países e costumam apresentar um tipo de cultura híbrida em razão dessa forte interação. No território brasileiro, como demonstra o mapa, existem pelo menos 29 cidades gêmeas. A de maior vulto e circulação de pessoas e mercadorias é a cidade de Foz do Iguaçu, no estado do Paraná, que faz fronteira com a Ciudad Del Este (Paraguai) e Puerto Iguazu (Argentina), constituindo uma Tríplice Fronteira.

Questão 04  – (UNICAMP 2018)

sazonal.png

Em 2016, conforme registros do INPE, cerca de 60.000 focos de incêndios de pequenas e grandes proporções atingiram o bioma Cerrado. Embora as queimadas resultem, em sua maior parte, da ação humana, elas também ocorrem como um evento natural, comum e integrado a esse bioma.

a) Aponte um fator que revela a importância das queimadas como evento natural nas áreas de Cerrado e explique sua sazonalidade.

As queimadas naturais do Cerrado brasileiro têm sua importância ligada ao processo de fertilização do solo pela presença de matéria orgânica transformada em cinzas, que o remineraliza. Apesar de o fogo provocar o aumento da temperatura do solo em sua superfície, alguns centímetros abaixo ela pouco varia. Não há, portanto, dano às estruturas radiculares que, com as próximas chuvas, voltam a brotar. As queimadas naturais, em razão do clima seco e quente predominam entre os meses de julho e novembro, conforme mostrado no gráfico.

b) Qual é o principal processo que impulsiona atualmente a reorganização regional no bioma Cerrado e qual é o tipo de produção econômica que prevalece nessa área?

O atual processo que impulsiona a reorganização espacial no bioma do Cerrado é o Agronegócio. Ele tem sido responsável pelo avanço da fronteira agrícola, especialmente com a produção de grãos, como soja e milho, e a pecuária.

Questão 05 – (UNICAMP 2018)

pirâmide etaria - bolivia.png

As imagens acima indicam um fenômeno climático provocado pela dinâmica social. Esse fenômeno altera o tempo atmosférico nas grandes cidades do mundo todo.

a) Explique o que é clima e o que é tempo atmosférico.

O clima pode ser definido como sucessão habitual dos estados de tempo atmosférico que se estende por um longo período de anos, normalmente mais de 10 anos. Já o tempo é caracterizado como o estado momentâneo ou transitório da atmosfera.

b) Que fenômeno está representado nas isotermas indicadas acima? Esse fenômeno é sazonal ou independe da estação do ano?

O fenômeno representado é a ilha de calor. Ela ocorre em razão do aumento da temperatura nas áreas centrais da cidade, como se pode verificar através do comportamento das isotermas representadas na figura. Esse fenômeno ocorre em razão das dinâmicas sociais permanentes, por isso independe da estação do ano. Essas dinâmicas são: impermeabilização do solo urbano, concentração de poluentes, remoção da cobertura vegetal, grande densidade de construções e intenso tráfego de veículos.

Questão 06 – A cidade de Hamburgo, a mais rica da Europa, exibe tanto a mais alta proporção de milionários como a mais elevada incidência de beneficiários da assistência pública da Alemanha; já Nova Iorque concentra a maior quantidade de ricos do Planeta, mas também um dos maiores exércitos de pessoas sem teto e indigentes do hemisfério ocidental. Aparentemente contraditórios, esses fenômenos estão vinculados ao avanço da prosperidade econômica global – não há declínio econômico nesses países – que traz retrocesso e desarticulação do Estado de bem-estar social. (Adaptado de Loic Wacquant, Parias urbanos. Marginalidad em la ciudad a comienzos del milenio. Buenos Aires: Manancial, 2015.)

a) Por que a produção da riqueza em países desenvolvidos está gerando mais pobres? Além do conflito de classes, cite outro tipo de conflito social observado em Nova Iorque que também é condicionante para a geração de pobreza.

A produção da riqueza em países desenvolvidos está gerando mais pobres, apesar do aumento da prosperidade econômica global, em razão da alta concentração de renda que caracteriza o atual estágio do desenvolvimento capitalista. Em Nova Iorque não é apenas o conflito entre classes sociais que estabelece patamares de pobreza, mas também conflitos de origem racial, étnica e de gênero. Há ainda discriminação contra imigrantes, tendo em vista os processos de xenofobia.

b) O que é o Estado de bem-estar social? Dê um exemplo de recuo do Estado de bem-estar social.

O Estado do Bem-Estar-Social é definido como aquele capaz de intervir nos processos sociais e estabelecer uma convivência digna entre as mais diversas classes sociais, raças e gêneros. Ele é também garantidor da existência da cidadania, ou seja, age como elemento regulador dos direitos sociais. Há atualmente inúmeros exemplos de recuos do Estado do Bem-Estar-Social. Trata-se basicamente da precarização dos direitos trabalhistas e da privatização da saúde e da educação, promovendo-se uma maior expansão da pobreza.


Redação

Você é um estudante do Ensino Médio e foi convidado pelo Grêmio Estudantil para fazer uma palestra aos colegas sobre um fenômeno recente: o da pós-verdade. Leia os textos abaixo e, a partir deles, escreva um texto base para a sua palestra, que será lido em voz alta na íntegra. Seu texto deve conter:

a) uma explicação sobre o que é pós-verdade e sua relação com as redes sociais;

b) alguns exemplos de notícias falsas que circularam nas redes sociais e se tornaram pós-verdade;

c) consequências sociais que a disseminação de pós-verdades pode trazer. Você poderá usar também informações de outras fontes para compor o seu texto.

TEXTO A:

Texto A_redação_penso logo existo.png

TEXTO B: 

O que é “pós-verdade”, a palavra do ano segundo a Universidade de Oxford

Anualmente, a Oxford Dictionaries, parte do departamento de imprensa da Universidade de Oxford responsável pela elaboração de dicionários, elege uma palavra para a língua inglesa. A de 2016 foi “pós-verdade” (post-truth).

A palavra é usada por quem avalia que a verdade está perdendo importância no debate político. Por exemplo: o boato amplamente divulgado de que o Papa Francisco apoiava a candidatura de Donald Trump não vale menos do que as fontes confiáveis que negaram esta história. Segundo Oxford Dictionaries, a palavra vem sendo empregada em análises sobre dois importantes acontecimentos políticos: a eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos e o referendo que decidiu pela saída da Grã-Bretanha da União Europeia, designada como Brexit. Ambas as campanhas fizeram uso indiscriminado de mentiras, como a de que a permanência na União Europeia custava à Grã-Bretanha US$ 470 milhões por semana, no caso do Brexit, ou a de que Barack Obama é fundador do Estado Islâmico, no caso da eleição de Trump. Em um artigo publicado em setembro de 2016, a influente revista britânica The Economist destaca que políticos sempre mentiram, mas Donald Trump atingiu um outro patamar. A leitura de muitos acadêmicos e da mídia tradicional é que as mentiras fizeram parte de uma bem-sucedida estratégia de apelar a preconceitos e radicalizar posicionamentos do eleitorado. Apesar de claramente infundadas, denunciar essas informações como falsas não bastou para mudar o voto majoritário.

Para diversos veículos de imprensa, a proliferação de boatos no Facebook e a forma como o feed de notícias funciona foram decisivos para que informações falsas tivessem alcance e legitimidade. Este e outros motivos têm sido apontados para explicar a ascensão da pós-verdade.

Plataformas como Facebook, Twitter e Whatsapp favorecem a replicação de boatos e mentiras. Grande parte dos factoides são compartilhados por conhecidos nos quais os usuários têm confiança, o que aumenta a aparência de legitimidade das histórias. Os algoritmos utilizados pelo Facebook fazem com que usuários tendam a receber informações que corroboram seu ponto de vista, formando bolhas que isolam as narrativas às quais aderem de questionamentos à esquerda ou à direita.

(Adaptado de André Cabette Fábio. O que é ‘pós-verdade’, a palavra do ano segundo a Universidade de Oxford. Nexo, 16/11/2016. Disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2016/11/16/O-que-é-‘pós-verdade’-a-palavra-do-ano-segundo-a-Universidade-de-Oxford. Acessado em 01/12/2017).

Expectativa da banca: O enunciado que orienta a elaboração da redação cria uma situação em que o candidato se coloca na posição de um estudante que deve produzir um texto base para uma palestra, explicando aos colegas o fenômeno da “pós-verdade”.

O enunciado traz implicitamente uma diferenciação entre notícia falsa (fake news) e pós-verdade (post-truth) que precisa ser considerada pelo candidato, o qual deve, ainda, relacionar o fenômeno com as redes sociais, dar exemplos de pós-verdades e mencionar suas possíveis consequências.

A charge traz um dos pontos-chave para a diferenciação entre fake news e “pós-verdade”: o que está em questão não é só a publicação ou a crença em notícias falsas (que sempre existiram), mas a percepção de uma situação em que crenças e opiniões valem mais do que fatos.

O segundo texto articula essa ideia ao papel das redes sociais na legitimação de notícias falsas, destacando o efeito dos algoritmos utilizados pelas principais redes sociais na constituição do “efeito bolha”: a rapidez e a intensificação do fluxo de informação ratificam um ponto de vista e produzem um “efeito verdade”. 

2 comentários em “Unicamp 2018: Geografia e Redação”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s