FUVEST 2017 – 2ª fase (segundo dia) – Ciências humanas

Reveja a prova da segunda fase (segundo e terceiro dia ) da Fuvest 2017.

Segundo dia

Questão 1 – As origens da oposição dos britânicos à União Europeia (UE), que estão na justificativa do Brexit, remontam ao fato de que, historicamente, eles nunca abraçaram uma identidade europeia. O Brexit representa um duro golpe ao projeto de integração europeu cujas origens datam do pós Segunda Guerra Mundial.

BBC Brasil, junho de 2016. Adaptado.

a) Aponte e explique o contexto geopolítico relacionado à origem do projeto de integração europeia.

b) Aponte um motivo de ordem econômica e outro de ordem social relacionados ao interesse dos britânicos na saída da UE.

Resposta: a) As origens de um projeto de integração europeia remetem ao mundo bipolarizado durante a Guerra Fria, no pós Segunda Guerra Mundial, quando países envolvidos no conflito de proporções globais buscavam estratégias para se reorganizar e assumir novamente o posto de potências hegemônicas, ocupado no período entre 1945 e 1991 pelos EUA e pela URSS. Passando pela organização na forma da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (CECA) e da Comunidade Económica Europeia (CEE), finalmente transformou-se na União Europeia em 1991 com a assinatura do tratado de Maastricht que, entre outras coisas, preconizada a unificação monetária da comunidade através do Euro e a livre circulação de pessoas regulamentada pelo Acordo de Schengen.

b) Dentre os motivos relacionados ao interesse de alguns britânicos na saída do Reino Unido da União Europeia, movimento que ficou conhecido como BREXIT, alavancada pelo partido nacionalista UKIP, podemos destacar a insatisfação frente à foram como a União Europeia vem sendo onerada ao ter que socorrer países que fazem parte do bloco e que estão em situação econômica muito debilitada (como Grécia, Portugal, Espanha, Irlanda e até mesmo a Itália); e, do ponto social, a rejeição em relação a entrada de imigrantes provenientes sobretudo do Oriente Médio e do Norte da África, vítimas dos conflitos geopolíticos da área, sob a alegação de que podem agravar o quadro de desemprego e sobrecarregar o sistema público britânico ao ter que oferecer serviços como Saúde, Educação e Habitação aos refugiados.

Questão 2- As imagens mostram a situação do local da Barragem de Fundão, em Mariana/MG, antes e depois do acidente de 05 de novembro de 2015. Essa ocorrência consistiu no rompimento da barragem, que resultou em mortes e na liberação de milhões de toneladas de lama, que acabaram por atingir o distrito de Bento Rodrigues, no vale do rio Doce.

fuvest 2017_geografia_2o dia_ barragem de fundão.png

a) Do ponto de vista econômico, qual é a importância da região de Mariana/MG onde se encontrava a referida barragem? Explique, apontando dois exemplos.

b) Indique uma consequência do acidente em relação ao meio ambiente e outra quanto ao impacto social no vale do rio Doce.

Respostas: a) A região de Mariana (MG) faz parte do Quadrilátero Ferrífero que compõe outras três cidades como Congonhas, Santa Barbara e Sabará. Sua economia está voltada para a extração de minério de ferro, fundamental para abastecer a demanda da forte industrialização do sudeste metropolitano. Como dois exemplos de sua importância podemos citar que a região é dotada de grande concentração de minério de ferro (Formação Proterozoica) e é o entroncamento ferroviário que liga o corredor de exportação até o porto de Tubarão (ES), o qual fornece minério de ferro para CSN na região de Volta Redonda (RJ).

b) São várias as consequências ambientais na região: assoreamento do Rio Doce, contaminação dos solos por conta dos rejeitos do minério de ferro, além da destruição da fauna e flora local. No caso dos impactos sociais, foram afetadas as arrecadações financeiras de várias famílias que habitam em regiões próximas ao Rio Doce, as quais vivem da atividade pesqueira. Além disso, em todo o trajeto do rio foi verificado destruição de construções públicas, áreas agrícolas e de preservação permanente da Mata Atlântica, afetando também o turismo na região.

Questão 3 –  Durante as obras relativas ao projeto urbanístico Porto Maravilha, na zona portuária do Rio de Janeiro, foram encontradas, na escavação da área, as lajes de pedra do antigo Cais do Valongo. Esse cais de pedra foi construído no local que era utilizado para o desembarque de africanos escravizados desde o século XVIII. Quase um quarto de todos os africanos escravizados nas Américas chegou pelo Rio de Janeiro, podendo esta cidade ser considerada o maior porto escravagista do mundo.

a) Considerando as atividades econômicas importantes do século XVIII que utilizavam predominantemente mão de obra escravizada, escreva, na legenda do mapa da página de respostas, duas dessas atividades e as localize no mapa utilizando os números I e II.

fuvest 2016_mapa e atividade econômica.png

b) Indique dois motivos que explicam por que, no Brasil, durante o período colonial, a mão de obra escravizada dos indígenas foi substituída pela mão de obra escravizada dos africanos.

Resposta: a) I: Bahia (plantio de cana de açúcar).

II: Minas Gerais (mineração)

b) O primeiro motivo é a substituição da mão de obra indígena para a mão de obra de africanos, a proteção exercida por religiosos, principalmente os jesuítas, que afirmavam que os indígenas tinham “alma” e deveriam ser cristianizados. O segundo motivo é a proteção da coroa portuguesa aos nativos, afirmando que os indígenas eram súditos da coroa e não poderiam ser escravizados.

Questão 4 – O gráfico mostra a progressão da população humana ao longo do tempo em relação aos sistemas agrários no mundo. A partir do gráfico,

fuvest 2016_revolução agrícola.png

a) compare o crescimento demográfico ocorrido após a Revolução agrícola neolítica com o crescimento demográfico da Revolução agrícola da Idade Média e explique a diferença entre ambos;

b) comente os dados do gráfico segundo os princípios da teoria demográfica malthusiana.

Resposta: a) O crescimento demográfico na Revolução Neolítica foi resultado de novas condições que diminuíram a vulnerabilidade em que os seres humanos viviam anteriormente, permitindo a transição do nomadismo para o sedentarismo, a partir do desenvolvimento da agricultura e do pastoreio. No período medieval identificado no gráfico remete-se ao aperfeiçoamento das técnicas agrícolas, como a rotação de culturas e o uso da tração animal, propiciando um significativo aumento populacional. Enquanto no primeiro momento em que se retrata a Revolução Neolítica tem-se o domínio humano da produção agrícola, no período medieval assiste-se o desenvolvimento de novas técnicas de cultivo potencializando a produção de alimentos.

b) O intenso crescimento demográfico observado no gráfico reforça a teoria malthusiana no que diz respeito à forma como a população humana tende a crescer, seguindo uma progressão geométrica, amparada principalmente pela drástica redução dos índices de mortalidade e pelo aumento na produção de alimentos graças às novas tecnologias trazidas pelas revoluções agrícolas ao longo do período indicado. A partir do século XIX, a Revolução Industrial passa a influenciar intensamente as inovações tecnológicas agrícolas, favorecendo ainda mais o crescimento demográfico pelas inovações trazidas no campo da medicina e nos métodos higiênico-sanitários.

Questão 5 – Leia os poemas abaixo e responda:

fuvest 2016_canção do exílio e do regresso à pátria.png

a) Considerando que os poemas foram escritos, respectivamente, em 1843 e 1924, caracterize seus contextos históricos sob os pontos de vista político e social.

b) Comparando os dois poemas, indique uma diferença estética e uma diferença ideológica entre ambos.

Resposta: a) O primeiro poema foi produzido durante o início do Segundo Reinado no Brasil em uma estrutura escravocrata, num momento em que se construía uma identidade nacional sob a valorização da cultura portuguesa, impactada pelo romantismo. No segundo poema destaca-se os elementos modernistas como o nacionalismo e a eliminação de traços europeus, numa época em que o Brasil encontrava-se na Primeira República, um regime alicerçado sob interesses oligárquicos, em que se verificava um acelerado desenvolvimento urbano, sobretudo no eixo Rio-São Paulo, ao mesmo tempo em que se assistia a organização do movimento operário.

b) O primeiro poema apresenta uma estética romântica em que são marcantes as referências à natureza exuberante e a idealização da pátria, como observa-se no verso “… Não permita Deus que eu morra,/ sem que eu volte para lá…”; O segundo poema apresenta uma estética modernista, caracterizada pela presença de elementos urbanos associados a o progresso da cidade grande, como observa-se no trecho “… sem que veja a Rua 15/ E o progresso de São Paulo “. Ideologicamente, os poemas divergem entre si no que se refere às ideias de identidade nacional que encerram. No primeiro poema, vê-se uma construção identitária marcada pela forte idealização de grandeza da pátria. Enquanto o segundo poema centra-se na construção de uma identidade associada ao desenvolvimento e progresso urbano e material.

Questão 6. O gráfico ilustra estimativas das áreas continentais ocupadas por ecossistemas terrestres naturais (floresta primária e campos naturais), por ecossistemas de uso humano (floresta secundária e silvicultura, áreas de pastagem e lavouras), pela água em estado líquido, pelo gelo, além de outras áreas terrestres, desde o século XIV até o final do século XX. Observa-se que, a partir da Revolução Industrial, iniciada em meados do século XVIII, a extensão das áreas ocupadas por esses ecossistemas sofreu alterações

a) “A redução de áreas de florestas primárias, a partir da Revolução Industrial, deveu-se majoritariamente à expansão das áreas de lavoura no mundo”. Os dados representados no gráfico apoiam essa afirmação? Justifique sua resposta.

b) Mantidas as condições ambientais deste início do século XXI, o que se pode prever, quanto à área ocupada pelo gelo, no final do século.

a) Os dados representados no gráfico não apoiam a afirmação porque o mesmo indica o aumento majoritário da área de pastagem.

b) Mantidas as condições ambientais do início do século XXI, a previsão é a diminuição da área ocupada pelo gelo, segundo a avaliação do aumento do aquecimento global defendido pelo IPCC (ONU).

Terceiro dia

Questão 7. Segundo o relatório Perspectivas da Urbanização Mundial, publicado pela ONU em 2015, mais da metade das grandes aglomerações urbanas do mundo encontra-se no continente asiático. Considere apenas a área assinalada no mapa, onde estão localizadas algumas dessas grandes aglomerações urbanas

a) Explique dois fatores que levaram à formação dessas grandes aglomerações urbanas nos países localizados na área assinalada.

b) Essas grandes aglomerações urbanas situadas na área assinalada podem ser consideradas megacidades e, também, cidades globais. Defina megacidade e cidade global

a) Dois fatores que levaram à formação de grandes aglomerações urbanas no Sul e Sudeste da Ásia são a mecanização do campo – proporcionando um intenso êxodo rural – e a industrialização dos países da região.

b) Megacidade é a aglomeração urbana com uma população superior a 10 milhões de habitantes. Cidade global é uma metrópole que concentra perícia, capitais e serviços ligados à economia globalizada.

Questão 8. A ideia do direito à cidade não surge fundamentalmente de diferentes caprichos e modismos intelectuais. Surge basicamente das ruas, dos bairros, como um grito de socorro e amparo das pessoas oprimidas em tempos de desespero.

David Harvey, Cidades rebeldes, Martins Editora, 2014. Adaptado.

O autor se refere a uma série de movimentos sociais urbanos da atualidade que têm tomado as ruas, em várias cidades no mundo, transformando o espaço público em um palco de lutas sociais, em busca de direitos. Segundo Lúcio Kowarick (Escritos urbanos, Editora 34, 2000), movimentos sociais urbanos são forças coletivas que se organizam e se mobilizam tendo como pauta de reivindicação soluções para os problemas específicos da vida nas cidades.

a) Considerando as informações apresentadas, identifique duas demandas por direitos pelos quais os movimentos sociais urbanos no Brasil têm-se mobilizado no século XXI. Justifique.

b) No Brasil, os movimentos sociais urbanos atuais apresentam diferenças em relação aos do passado, sobretudo os das décadas de 1980 e 1990. Indique duas características dos movimentos sociais urbanos do século XXI que diferem das dos movimentos das décadas de 1980 e 199

a) Os movimentos sociais urbanos figuram como uma das principais manifestações populares na luta por direitos e demandas de diferentes grupos. Contemporaneamente, podemos considerar como demandas a melhoria no transporte público, tendo em vista a precariedade das infraestruturas neste setor, a insuficiência dos equipamentos em relação à alta demanda e o alto custo para a população; e a luta por moradia, resultado do grande crescimento populacional aliado à especulação imobiliária e à concentração de renda, além de grande quantidade de imóveis ociosos existentes nos grandes centros urbanos. Poderíamos ainda considerar outras pautas, como a pressão por melhorias na área da educação, o que levou recentemente à ocupação de escolas em várias cidades do Brasil, e reivindicações relacionadas com melhores condições nas áreas de saúde e segurança.

b) Os recentes movimentos sociais apresentam diferentes características daqueles realizados ao longo das décadas de 1980-1990, os quais, entre outras demandas, lutaram pela implementação da democracia e a liberdade de expressão. Atualmente, considerando-se que o sistema democrático é uma realidade no País, os diferentes movimentos sociais buscam o seu aprimoramento, o cumprimento de direitos previstos em lei, a defesa de grupos minoritários e a luta contra a corrupção. Outra diferença relevante nos movimento sociais do século XXI é a possibilidade de mobilização dos grupos por meio das redes sociais, sendo que as tecnologias de comunicação têm capacidade elevada e rápida na disseminação de informações, o que não existia nas décadas anteriores.

Questão 9. O planeta Terra pode ser considerado um sistema, isto é, um conjunto de elementos que podem se relacionar e que constituem as partes de um todo. O sistema Terra é formado por subsistemas, cuja interação compõe a superfície terrestre, conforme representado nas figuras pelas letras A, B, C e D

a) Aponte duas relações entre os subsistemas A e B que contribuem para o processo de desertificação no nordeste do Brasil.

b) Considerando o avanço do agronegócio na região centro-oeste do Brasil, qual seria um possível impacto no subsistema C? Justifique

a) A figura mostra de forma genérica as relações entre diferentes subsistemas. As relações mais evidentes entre os subsistemas A (correspondente à atmosfera) e B (correspondente à litosfera) giram em torno da formação das chuvas orográficas (ou de relevo), que, no caso do Nordeste do Brasil, ocorrem principalmente na parte oriental junto ao Planalto da Borborema, o que dificulta a penetração das massas de ar a partir do Atlântico em direção oeste, configurando um dos fatores para a ocorrência da semiaridez do Polígono das Secas.

b) O agronegócio da Região Centro-Oeste envolve atividades como a pecuária extensiva e as monoculturas mecanizadas de cultivos como soja, milho e algodão. Tais atividades têm provocado sobre os rios (parte do subsistema C, hidrosfera), a contaminação com o uso de agrotóxicos e insumos para correção de solos, além do assoreamento provocado pelo aumento do processo erosivo com a crescente exposição dos solos, principalmente em áreas marginais.

Questão 10. Atividades agrícolas podem degradar os solos, e a intensidade dessa degradação varia conforme a natureza do solo, uso da terra, tipo de cultura, técnicas utilizadas e contexto geográfico de clima e relevo. Ao longo de anos, por exemplo, pode ocorrer a perda de milhares de toneladas de solos agricultáveis.

a) Cite um processo responsável pela degradação dos solos na zona intertropical brasileira. Justifique.

b) Cite e explique uma medida conservacionista para diminuir a degradação dos solo

a) O principal processo de degradação do solo na zona intertropical brasileira é o desmatamento, sobretudo o causado pelo avanço da fronteira agropecuária. Um exemplo disso é a crescente retirada da cobertura vegetal do Centro-Oeste brasileiro para implantação das lavouras de soja e das pastagens para bovinos. A desproteção dos solos abre caminho para os processos erosivos e outros processos empobrecedores do solo, como lixiviação e laterização.

b) Várias medidas podem ser adotadas para diminuir a degradação dos solos pelas atividades antrópicas, uma delas é evitar o cultivo em áreas de grande declividade e, quando isso for impossível, proceder à construção de terraços. Preservar a vegetação natural e reflorestar áreas degradadas é fundamental para minimizar os processos erosivos e consequentemente o assoreamento dos rios.

Questão 11. Analise o mapa.

a) Cite uma região brasileira que teve grande crescimento populacional no período indicado e explique dois fatores que levaram a esse crescimento.

b) O elevado crescimento em algumas áreas, no período representado no mapa, significa a reversão da tendência histórica de concentração populacional no país? Justifique sua resposta.

a) O mapa apresentado mostra que o crescimento populacional no período indicado é grande na REGIÃO NORTE. Também pode ser observado que a REGIÃO CENTRO-OESTE possuiu taxas elevadas entre 2000 e 2010. Tais regiões obtiveram os resultados mais expressivos no Brasil devido ao avanço das fronteiras agrícolas em direção à Amazônia Ocidental, impulsionado pelo agronegócio. Além disso, destaca-se também que as obras de infraestrutura, sobretudo nos transportes, facilitaram o surgimento de eixos de povoamento que contribuíram para a interiorização do País.

b) Historicamente, a distribuição demográfica brasileira mostra-se fortemente concentrada na faixa litorânea. Nos dias atuais, ainda é possível notar que tais áreas são aquelas de maior concentração populacional. Porém, a dinâmica demográfica brasileira nas últimas décadas tem mostrado que as áreas interioranas, principalmente no Norte e no Centro-Oeste, experimentam aumento significativo da sua concentração populacional. Portanto, houve claramente uma inversão da tendência de incremento populacional, pois o Norte e o Centro-Oeste crescem hoje muito mais do que as demais regiões do País. Entretanto, é bom lembrar que a reversão da tendência de incremento populacional não foi suficiente para reverter a tradicional concentração populacional, ainda maior nas proximidades do litoral.

Questão 12. Todos os que se iniciam no conhecimento das ciências da natureza – mais cedo ou mais tarde, por um caminho ou por outro – atingem a ideia de que a paisagem é sempre uma herança. Na verdade, ela é uma herança em todo o sentido da palavra: herança de processos fisiográficos e biológicos, e patrimônio coletivo dos povos que historicamente as herdaram como território de atuação de suas comunidades.

Ab’Sáber, A. N. Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. Ateliê Editorial, 2003. Adaptado.

a) Considerando o texto e as imagens, explique por que a paisagem herdada deve ser protegida das ações predatórias.

b) Para alguns cientistas, as transformações provocadas na superfície do planeta pelas atividades humanas são significativas e irreversíveis. Explique o porquê dessa irreversibilidade, considerando a diferença entre tempo geológico e tempo histórico.

a) A degradação da paisagem, num primeiro momento, tem como consequência a degradação do sistema natural, com forte impacto na biodiversidade. A exploração mineral de uma área implica o desflorestamento, a desproteção do solo, a contaminação das águas com os rejeitos da mineração e o assoreamento dos rios. Outrossim provoca, por vezes, inundações, desalojamento de populações ribeirinhas e, em caso de acidentes como o de Mariana em 2015, verdadeiras tragédias. Por isso, proteger a paisagem herdada das ações predatórias deve ser prioridade social e ambiental.

b) O que a natureza fez ao longo de milhões de anos (tempo geológico) o homem não consegue repor no curto tempo histórico. A remoção de florestas em poucos anos pode significar décadas para a recolonização vegetal. No caso da mineração, a remoção de uma montanha é algo impossível de se reverter. Portanto, uma mineradora pode até tentar minimizar o impacto de suas atividades, mas nunca reverter suas consequências.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s