Dica de filme: Marcados Pela Guerra

Leia uma análise sobre o filme Marcados Pela Guerra que retrata a polêmica prisão de segurança máxima na baía de Guantánamo em Cuba. E relembre os pontos mais interessantes sobre a prisão e da Convenção de Genebra que pode cair no vestibular.

Sobre o filme

O filme Marcados Pela Guerra (título original é Camp X-Ray), lançado em 2014, retrata a vida de uma jovem, Amy Cole (representada pela Kristen Stewart) que decide se alistar no exército norte-americano e é mandada para Baía de Guantánamo, na prisão de segurança máxima Camp X-Ray. Essa prisão é destinada aos envolvidos com o terrorismo e é mundialmente polêmica por conter acusações de violação dos direitos humanos. Na trama, a Cole se envolve com um dos presos, o Ali Amir (Peyman Moadi), que está preso há 8 anos e se diz inocente.

O ponto relevante no filme é que o sargento, ao orientar os novatos, pede para que eles chamem os presos de detentos, e não de prisioneiros. A diferença é que um prisioneiro tem seus direitos garantidos pela Convenção de Genebra, tendo punições aos maus-tratos, pois é considerado um crime de guerra. Já o detento, não tem defesa. Em outros termos, o detento pode ser maltratado já que não é considerado um crime de guerra. (para ler sobre Convenção de Genebra).

Diante disso, espere para ver como o filme representa os abusos na prisão. Somente por esse ponto, vale a pena conferir o filme e entender o por quê a prisão é tão polêmica. E o melhor de tudo é que o filme está disponível na Netflix.

Uma crítica muito boa sobre o filme pode ser encontrada aqui.

Não é a primeira vez que a prisão de Guantánamo é retratada. Uma outras referência sobre a violação de direitos humanos é o livro de Mohamedou Slahi, prisioneiro desde 2002, que escreveu um diário sobre os abusos da prisão (fonte).

Sobre a Baía de Guantánamo e a prisão

A Baía de Guantánamo é uma a área de 117 quilômetros quadrados da região sudoeste de Cuba. Esta região foi cedida aos norte-americano na Emenda Platt para a construção .de uma base militar norte-americana. Após o 11 de setembro de 2001, a Baía de Guantánamo foi reaberta em 2002 no Governo de Bush para a construção da prisão de segurança máxima prendendo os acusados de terroristas. Outro ponto é que os “detentos” nunca tiveram julgamento.

A Emenda Platt foi um documento anexado na Constituição Cubana concedendo o domínio norte-americano sobre Cuba, sendo que a ilha estaria ‘protegida’ das invasões europeias. Lembrando, que EUA foi essencial na Guerra Hispano-Americana (1898), que defendeu a independência cubana sobre o domínio espanhol. Por conta dessa ajuda, Cuba teve que ceder à Emenda Platt. Para saber sobre a relação entre EUA e Cuba, leia aqui.

Desde a Revolução Cubana em 1959, quando Cuba rompe com o domínio norte-americano, a Baía de Guatánamo é reivindicada pelo governo cubano.

Com o presidente Barack Obama foi anunciado a pretensão do governo americano de fechar a prisão em Guantánamo com a reaproximação histórica entre Cuba e EUA. Contudo, Obama apenas conseguiu diminuir a quantidade de prisioneiros, mas conseguiu reaproximar o governo norte-americano com Cuba.

Com a presidência de Donald Trump, o possível fechamento da prisão mais dura do mundo será praticamente impossível. Aliás, até foi comentado pelo Trump que aprova meios mais duros para aSemana passada, publicamos uma matéria aqui que trata sobre o cancelamento de Trump da reaproximação de Cuba, que foi defendida pelo Barack Obama.

Outras matérias sobre Guantánamo vale a pena conferir:

Não há outro nome: é tortura, por Maria Laura Canineu e Laura Pitter e publicado 13 de maio de 2016 na Carta Capital;

Guantánamo, entre o fechamento e a ressurreição, por Michael Knigge e publicado em 11 de janeiro de 2017 no DW;

LABANCA, Fernando. Crítica: Marcados Pela Guerra (Camp X-Ray, 2014). 20 de agosto de 2015. Disponível em: http://cinemaateca.blogspot.com.br/2015/08/critica-marcados-pela-guerra-camp-x-ray.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s